Atuação em rede

Há aproximadamente 12 anos o NUFEP/UFF articula uma rede de pesquisadores nacionais e estrangeiros em torno da problemática da administração institucional de conflitos no espaço público. Particular atenção vem sendo devotada as formas de acesso ao direito e à justiça. Fazem parte desta rede grupos de pesquisadores de instituições nacionais como Programa de Pós-graduação em Antropologia Social da Universidade de Brasília (PPGAS/UnB), Núcleo de Estudos de Instituições Coercitivas da Universidade Federal de Pernambuco (NIC/UFPE), Programa de Pós-graduação em Ciências Criminais da PUC-RS, Núcleo de Estudos da Violência da Universidade Federal de Paraná, Laboratório de Estudo da Sociedade Civil e do Estado da Universidade do Norte Fluminense (LESCE/UENF-RJ), Programa de Pós-graduação em Direito da Universidade Gama Filho (UGF-RJ), Programa de Pós-graduação em Antropologia da Universidade Federal de Minas Gerais (PPGAN/UFMG), Núcleo de Estudos da Cidadania, do Conflito e da Violência da Universidade Federal do Rio de Janeiro (NECVU/IFCS/UFRJ) e Laboratório de Etnografia Metropolitana da mesma Universidade (Lemetro/IFCS/UFRJ).

Em nível internacional, reúne o Equipo de Antropologia Jurídica y Política da Universidad de Buenos Aires, coordenado pela Professora Sofia Tiscornia; o Departamento e o Programa de Pós-Graduação em Criminologia da Universidade de Ottawa, Canadá, onde trabalham os Professores Daniel dos Santos e Fernando Acosta; o Departamento de Sociologia da Universidade de Paris - X, inicialmente através do Profésseur Isaac Joseph e, atualmente, de M. Daniel Cefai; e o Centro de Estudos Sobre o Direito e as Instituições Penais - CESDIP, do Ministério do Interior e do CNRS da França, representado por M. René Lévy.
Também foram integrados a estes esforços o Instituto de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro (ISP) e a Fundação João Pinheiro, do governo do Estado de Minas Gerais (FJP), incorporando o trabalho de instituições estaduais vinculadas com a formulação, implementação e avaliação de políticas públicas na área da Segurança Pública.
 

O trabalho produzido pelos integrantes dessa rede tem gerado um acervo de teses, dissertações e publicações acadêmicas nas áreas mencionadas. Pesquisadores e estudantes da mesma reúnem-se periodicamente nas reuniões da Associação Brasileira de Antropologia; Reunião de Antropologia do Mercosul; Associação Latino-americana de Antropologia; Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Ciências Sociais e Congresso Luso-Afro Brasileiro de Ciências Sociais, tendo sido formalizada em 2002 uma rede com o nome “Rede Internacional de Estudos Comparativos sobre a Justiça e a Criminalidade” (RIEC), em encontro realizado no IFCS/UFRJ.